O grupo de música popular ADIAFA foi criado pelos músicos José Emídio e Paulo Colaço, por volta de 1998 e na sua génese está a divulgação e interpretação do cante campaniço baixo-alentejano , e a recuperação do seu instrumento tradicional – a viola campaniça .

O grupo já teve diversas formações, tendo dele feito parte músicos como Paulo Colaço, José Emídio, António “Tói Marreco” Santos, Emídio Zarcos (já falecido), Manuel Bexiga, Luís Espinho, João Paulo Sousa, Joaquim Simões, António Caturra e João Cataluna.

A formação actual integra José Emídio , Tói “Marreco” Santos , Luís Espinho e João Paulo Sousa. Após vários espectáculos através do Alentejo profundo (e não só) e para fazer face a inúmeras solicitações, o grupo viu-se confrontado com a necessidade imperiosa de registar em disco todo o trabalho de recolha entretanto efectuado, ao qual foi acrescentando alguns textos próprios que complementavam o modo original de entender e interpretar o cante alentejano .

O disco homónimo (edição de autor) foi gravado em Cuba (Baixo Alentejo) e apresentado ao público na Casa da Cultura em Beja a 9 de Abril de 2002.

A partir desta data, o grupo foi solicitado para espectáculos por todo o País, tendo-se deslocado à Suíça e ao Canadá onde actuou para as respectivas comunidades emigrantes. Só no ano de 2003, ADIAFA contabilizou cerca de 120 espectáculos, entre os quais se destacam os realizados em Lisboa, no Pavilhão Atlântico perante 19.000 pessoas, onde assegurou a 1ª parte do concerto da vedeta internacional Shakira, e outro em Albufeira (Algarve) partilhando o palco com a estrela da MPB Daniela Mercury.

Paralelamente o grupo viu o seu 1º trabalho discográfico guindar-se ao 1º lugar do Top Nacional de vendas, onde se manteve durante 6 semanas consecutivas, e chegar a Disco de platina – sinónimo de vendas superiores a 40.000 cópias. Foi a primeira vez que um grupo de música tradicional atingiu tal desiderato.

ADIAFA esteve nomeado para os Globos de Ouro 2003 da SIC nas categorias de melhor grupo e melhor canção do ano ( AS MENINAS DA RIBEIRA DO SADO – o grande êxito do grupo ), ganhou o prémio MAIS MÚSICA instituído pela revista Mais Alentejo , foi presença constante em programas de televisão e de rádio, e motivo de inúmeros artigos de opinião na imprensa escrita em Portugal .

Em 2004 ADIAFA grava o 2º trabalho discográfico intitulado “Tá o Balho Armado” , no qual contam com a participação de Rui Veloso , Paulo de Carvalho , Zé Salgueiro , Gaiteiros de Lisboa , Artur Fernandes (Danças Ocultas) , Bardoada , Os Alentejanos , Beto Silva , Eduardo Ramos , Joaquim Simões , Augusto Graça , Pedro Mestre , Manuel Bento ,Jorge Serafim , Bruno Ferreira e João Canto e Castro (Contra-Informação) , entre outros.

Este trabalho teve um cuidado especial na recolha efectuada , na escolha dos instrumentos e na qualidade do som e respectiva produção . O espectáculo de apresentação decorreu em Beja por altura da feira RURALBEJA (Outubro de 2004) e contou com a colaboração de todos os músicos que participaram na gravação do CD .
Entretanto , em 20 de Maio de 2004 , por ocasião do Dia da Cidade de Beja , o grupo foi galardoado com a MEDALHA DE MÉRITO MUNICIPAL DE BEJA – GRAU PRATA por decisão da Câmara e da Assembleia Municipal da sua cidade natal .

Os anos de 2005 e 2006 têm sedimentado o valor musical do grupo ADIAFA que continua a actuar para onde quer que seja solicitado. Em 2007 o grupo entrou de novo em estúdio para gravar o 3º registo discográfico de título “Nã há vagar” , que foi posto à venda em 2008 já sob os auspícios de uma nova editora – OVAÇÃO !

O trabalho teve a colaboração de vários músicos convidados, tais como o incontornável José Salgueiro, o guitarrista de fado Paulo Parreira, o contrabaixista Ricardo Cruz, o viola Luís Pontes, o clarinetista Zé Conde, os brasileiros Adriano Alves, Luís Lima, Leo Tomich e Paulão, o acordeonista João Frade, o baixista Carlos Meneses, o percussionista José Vitorino e o ex-Adiafa Paulo Colaço.

O espectáculo de apresentação em Março de 2008 esgotou o cine Teatro Municipal Pax-Júlia (Beja) e trouxe novamente o grupo de volta aos grandes concertos. Este novo CD retrata uma nova faceta na autoria e composição dos temas e a abertura a outras manifestações musicais (fado,blues,bolero,baião) que demonstram a evolução do trabalho do grupo e potenciam toda a sua qualidade , confirmando aquilo que muitíssima gente se apercebeu desde o aparecimento do grupo :

ADIAFA é um valor seguro no panorama da MÚSICA POPULAR PORTUGUESA !