“Virou!” não engana.

E os Diabo na Cruz também não.

O álbum não só confirma a banda de Jorge Cruz como o projecto português mais estimulante do momento como lhes confere a mais fundamental das qualidades: idiossincrasia.

E faz falta a este pequeno Portugal novos projectos assim, que tentem desbravar novos caminhos.